Área restrita

Notícias

Vale a pena fazer um seguro residencial?

Vale a pena fazer um seguro residencial?

Custo baixo, imóvel protegido e serviços extras podem tornar a cobertura atrativa. As seguradoras oferecem pacotes padronizados, com diversos tipos de cobertura

Você já pensou em fazer um seguro residencial? Há quem pense que proteger um imóvel sai caro, mas o preço pode ser mais em conta do que muita gente imagina. Por um valor anual de até 0,2% do custo total da cobertura da apólice e parcelas mensais de menos R$ 25, é possível proteger sua casa ou apartamento contra incêndio, roubo, danos elétricos, raios, além de danos a terceiros. Segundo especialistas, o valor é bem menor do que um seguro de automóvel, que pode significar, em média, 10% do valor total da proteção de um carro.

Dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep) mostram que os seguros para residência – terceiro na lista dos mais procurados no país, atrás apenas dos de carros e os de vida – cresceram 20% entre janeiro e agosto deste ano, em comparação a igual período do ano passado, com faturamento de R$ 703,5 milhões.

As seguradoras oferecem pacotes padronizados, com diversos tipos de cobertura. A principal delas é a de incêndio, que contempla o maior valor de indenização. Adicionais, como roubo, danos elétricos e raio podem ser incluídos no plano principal de acordo com o interesse do cliente. O valor do seguro é proporcional ao risco do imóvel. Ou seja, a proteção de uma casa sai mais cara do que a de um apartamento. O mesmo vale para os imóveis de veraneio que podem ter um valor mais alto do que as moradias permanentes.

De acordo com Almir Ximenes, superintendente Executivo, embora a estimativa seja de que o mercado de seguros residenciais cresça 25% em 2010, ainda é grande a quantidade de pessoas que desconhecem os benefícios e o baixo custo do seguro de imóveis. Ele lembra que a contratação, que pode ser feita tanto para imóveis próprios como para alugados, tem custo/benefício muito bom e um valor anual pequeno – se comparado ao valor do prêmio do seguro.

Além das coberturas aos bens do imóvel, as seguradoras também oferecem proteção de responsabilidade civil, que caso algum segurado danifique acidentalmente algum bem, a seguradora garante a cobertura do dano. De acordo especialistas, esse tipo de proteção é mais indicado para quem mora em apartamento.

Garantia de danos

Além das coberturas básicas, as seguradoras oferecem aos clientes a possibilidade de incluírem em seus contratos coberturas opcionais como:

> Danos elétricos – para danos em aparelhos e instalações causados por curto-circuito, variação de tensão e queda de raio.

> Impacto de veículos – para danos materiais causados ao imóvel por queda de aeronaves e impacto de veículos.

> Vendaval, furacão, ciclone, tornado e queda de granizo – para danos causados diretamente sobre os bens segurados.

> Quebra de vidros – para quebra de vidros que integrem a construção, bem como espelhos planos e tampos de mesa.

> Responsabilidade civil familiar – para danos causados a terceiros pelo segurado, seu cônjuge, filhos sob sua responsabilidade, empregados domésticos e danos corporais causados por animais domésticos, entre outros.

> Subtração de bens – garante perdas e danos aos bens no imóvel segurado, bem como danos materiais ocorridos durante a prática ou tentativa de roubo ou furto qualificado.

> Escritório em residência – garante danos aos equipamentos de escritório existente no interior do local segurado causados por incêndio e explosão de qualquer causa e natureza, queda de raio no local segurado, danos elétricos e subtração de bens.

> Perda ou pagamento de aluguel – Garante os valores de aluguel e despesas prediais, caso o imóvel não possa permanecer ocupado em decorrência de sinistro coberto por incêndio ou explosão.

>Serviços especiais – Cobertura provisória de telhados, segurança e vigilância, limpeza, transferência de móveis, reparos hidráulicos, reparos elétricos, chaveiro, vidraceiro, instalação de ventilador de teto, entre outros.

Fonte: Abadi