Área restrita

Notícias

Saída para fugir da alta dos alugueis é negociar

Saída para fugir da alta dos alugueis é negociar

O Dia

O preço do aluguel no Rio disparou e, com isso, muitos inquilinos são surpreendidos na hora de renovar os contratos ao serem chamados para negociações com os proprietários. Para especialistas, inquilinos devem tentar baixar o preço, mesmo com a supervalorização das unidades. Os preços subiram até 46,6%, nos últimos 12 meses.

“Enquanto o imóvel estiver alugado, o reajuste não pode passar do estiver estabelecido em contrato, geralmente baseado no Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M). No entanto, quando o contrato acaba, o proprietário pode aumentar o aluguel o quanto quiser”, explica o advogado Sérgio Sender, especialista em Direito Imobiliário.

De acordo com Antonio Paulo Monnerat, vice-presidente de locações do Sindicato da Habitação (SecoviRio), a lei de oferta e da procura procura dita o ritmo dos preços. “Por conta das UPPs, da Copa e das Olimpíadas, o Rio se tornou a bola da vez. Há muita procura por aluguéis e pouca oferta, o que aumenta o valor”, afirma.

Entre as regiões que tiveram maior valorização do aluguel estão Vila Isabel, Méier, Tijuca e alguns bairros da Zona Sul, como Gávea e Botafogo. “Aluguéis na Zona Sul são caros porque há demanda cada vez maior e áreas muito restritas para crescimento. Já em Vila Isabel, subiu por causa da reforma do Maracanã. Da mesma forma, regiões próximas às UPPs foram muito valorizadas”, explica ele.

Para o inquilino não sofrer tanto com o aumento dos aluguéis, a solução é negociar. “Negociação sempre beneficia as duas partes”, garante Sender. “Na negociação, o que vale nunca é o valor de mercado”, diz Monnerat.

COMO NEGOCIAR

“O maior trunfo de um inquilino na hora da negociação é tentar argumentar sobre o pagamento do aluguel em dia e a boa conservação do imóvel”, ensina Antonio Paulo Monnerat, vice-presidente de locações do SecoviRio. “Muitas vezes vale mais a pena para o proprietário aceitar um aluguel menor, para não se arriscar com um novo inquilino, em quem ele não confia”, completa ele.

TENDÊNCIA É ESTABILIZAR

De acordo com Monnerat, é provável que após as Olimpíadas de 2016, no Rio, os preços dos aluguéis se estabilizem. “A tendência é que os preços nesse setor estabilizem após as Olimpíadas do Rio e passem a acompanhar a inflação”, afirma Paulo Monnerat.

REVITALIZAÇÃO

“A região portuária terá muitos lançamentos de prédios comerciais e residenciais, o que vai beneficiar não só cariocas, como quem que vem de fora. A revitalização lembra muito o que aconteceu em Puerto Madero, em Buenos Aires”, conta o vice-presidente. De acordo com ele, o aluguel nesses locais não sairia tão caro quanto na Zona Sul.