Área restrita

Notícias

Saiba como remover riscos do piso de madeira

Saiba como remover riscos do piso de madeira

Pense Imóveis

O uso diário pode causar danos a pisos de madeira. Muitos arranhões, contudo, quando mais superficiais, são removidos com facilidade seguindo algumas dicas. De acordo com Ariel de Andrade, gerente executivo da Associação Nacional dos Produtores de Pisos de Madeira, o sucesso da recuperação depende da intensidade do dano. “Se for leve, com uma cera ou selante, o risco já desaparece. É preciso, no entanto, procurar produtos especializados e ficar atento à tonalidade”, recomenda.

Se o risco for mais profundo, é necessário lixar e passar o verniz novamente. Esse processo pode ser repetido entre três ou quatro vezes sem danificar o piso.

“O tempo desse processo depende do produto escolhido. O verniz à base de água fica pronto mais rápido. O PU já é mais lento para secar. O Synteco, por sua vez, tem brilho mais intenso, mas demora mais. No entanto, deixa uma coloração natural. Podemos dizer que, na média, esse processo leva entre um e três dias”, avisa.

Veja como fazer o processo de raspagem e aplicação do verniz segundo o CPT (Centro de Produções Técnicas):

• Raspe totalmente a madeira. Se houver pinturas antigas na peça, ela só deve ser encerada com cera incolor;

• Logo após a raspagem, passe uma lixa 80 para ferro, que retira as marcas deixadas pela ferramenta usada para raspar;

• Em seguida, passe uma lixa 120 para madeira para retirar as marcas deixadas pela primeira lixa. O acabamento já sai perfeito. Nessa hora, aproveite também o pó que sai da lixa para guardá-lo e utilizá-lo quando houver uma restauração em uma peça de madeira igual;

• Passe uma flanela limpa para retirar o pó deixado pela lixa;

• Use o verniz, o neutrol ou a seladora conforme o acabamento que você queira dar;

• Vale destacar que o lixamento do piso precisa de máquina específica e, portanto, o processo necessita da contratação de um especialista.

Como escolher a madeira?

Cumaru, Ypê e Jatobá, normalmente, são mais resistentes. Já a amêndola e a perobinha sofrem danos com mais facilidade. Todo o processo de desgaste, contudo, vai depender do uso.

Já o piso laminado tem menos chances de ser restaurado. Isso porque, na verdade, é apenas um revestimento que imita madeira. Quando danificado, usualmente, precisa ser trocado.