Área restrita

Notícias

Manejo do lixo gerado pela construção civil é ineficiente

Manejo do lixo gerado pela construção civil é ineficiente

Segundo estudo, são importantes ações que minimizem os impactos ambientais causados por esses resíduos.

A construção civil é um dos segmentos industriais mais críticos no que se refere aos impactos ambientais, responsável pela maior geração de resíduos sólidos da sociedade. Porém, o estudo “Alternativa sustentável para destinação de resíduos de construção classe A: sistemática para reciclagem em canteiros de obras” mostra que o potencial da reciclagem em canteiros de obras é uma alternativa para a destinação do lixo, contribuindo assim para a redução dos impactos ambientais.

Tendo como exemplo a cidade de Salvador (Bahia), o estudo, de autoria de Patricia Evangelista, Dayana Costa e Viviana Zanta, explica que o crescimento populacional, o desenvolvimento econômico e a utilização de tecnologias inadequadas contribuem para geração cada vez maior dos resíduos da construção civil.

“Em um momento no qual ficam cada vez mais restritas as áreas disponíveis para a disposição desses resíduos, é fundamental para o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva da construção civil que todos os envolvidos busquem soluções ambientalmente responsáveis, por meio da redução, reaproveitamento e reciclagem desses resíduos, visando à minimização dos impactos causados”, dizem no estudo que foi publicado na edição de setembro do ano passado da revista Ambiente Construído.

Pensando nessa solução, as pesquisadoras desenvolveram uma proposta de sistematização para o processo de reciclagem dos resíduos de construção em canteiros de obra. “O lixo da construção civil, constituído em sua maioria de resíduos classe A (aqueles que são reutilizáveis ou recicláveis), pode e deve ser reaproveitado, reutilizado ou reciclado como forma de minimizar os nocivos impactos ambientais decorrentes de seu descarte inadequado”, esclarecem.

Segundo o estudo, a reciclagem pode ser realizada no próprio canteiro, através dos processos de britagem e peneiramento, trazendo não só benefícios ambientais, mas econômicos também. “Tal prática reduz o consumo de agregados naturais, a destinação em aterros, os custos de transporte, energia e desgaste com estradas e equipamentos”, explicam.

Apesar de pouco disseminadas, as pesquisadoras explicam que algumas iniciativas de reciclagem em canteiros de obras podem ser identificadas em municípios como São Paulo, Maceió, Brasília, Aracaju e Salvador.

Porém, elas ressaltam que diversos aspectos devem ser considerados para o sucesso dessa prática como a correta segregação dos resíduos classe A, a correta avaliação técnica dos agregados reciclados e análise de desempenho dos materiais gerados com esses agregados.

Fonte: Clip Imobiliário