Área restrita

Notícias

Consumidores devem ter cautela com cartão aluguel, diz Pro teste

Consumidores devem ter cautela com cartão aluguel, diz Pro teste

Os consumidores devem ter cautela na hora de aderirem ao cartão aluguel, lançado pela Caixa Econômica Federal, alerta a Pro Teste – Associação de Consumidores.

De acordo com a entidade, mesmo se tratando de uma opção ao inquilino para ausentar a figura do fiador, o cartão pesará no bolso do usuário, que deverá arcar, além da anuidade de R$ 96, com a taxa de manutenção do cartão de 6,67% ao mês.

Ao final de um ano, esse encargo será equivalente a 80% do valor de um aluguel mensal, contabiliza a associação, que aconselha o inquilino a pesquisar também outras modalidades, como o depósito caução e o seguro-fiança.

A entidade alerta que, nas opções oferecidas pelo mercado para não precisar de fiador, constata-se que há prejuízo do inqulino.

“O seguro-fiança também é uma modalidade que tem valor alto. A despesa extra em um ano equivale a 80% do valor de um aluguel mensal, considerando a cobertura básica oferecida pelas principais empresas do mercado. Em muitas situações, verifica-se um impasse na hora de fechar o contrato de locação. Há inquilinos que não conseguem encontrar um fiador e locadores que não consideram o depósito caução vantajoso, porque cobre apenas três meses de atraso no pagamento do aluguel”, afirma a Pro Teste.

Modalidades

O cartão aluguel começou em dezembro com quatro imobiliárias de São Paulo e de Goiás e exige renda de R$ 1 mil. Em fevereiro, o plástico deve chegar a todo o Brasil, com a possibilidade de ajustes nas regras, de acordo com a região. A Caixa espera que 300 imobiliárias estejam cadastradas.

As bandeiras MasterCard e Visa serão responsáveis pelo cartão, que terá dois limites, sendo um exclusivamente para o aluguel e outro para o pagamento de compras em estabelecimentos comerciais. O contrato fechado com o banco e com a imobiliária pode variar de 2 a 12 meses, no máximo.

O cliente que ficar inadimplente com a fatura do cartão terá de pagar ainda juros, cuja taxa não sai por menos de 10,7% ao mês, conforme dados da Anefac (Associação Nacional de Executivos de Finanças). Quem não é cliente da Caixa também terá direito ao produto, mas precisa fazer o cadastro.

Caixa Econômica

Em contrapartida, o vice-presidente de Pessoa Física da Caixa Econômica Federal, Fábio Lenza, disse que, ao excluir a necessidade de um fiador e garantir o pagamento de 12 prestações, o Cartão Aluguel vai facilitar o processo de locação de imóveis residenciais.

“A imobiliária não precisa emitir boleto, se atrasar [o pagamento], a imobiliária não tem a preocupação de cobrar, de ligar para o inquilino, tudo é feito pela área de cartão da Caixa Econômica Federal. Simplifica muito o processo, tanto para a imobiliária quanto para o inquilino, além da garantia das 12 parcelas, que dispensa o fiador”, afirmou, de acordo com informações da Agência Brasil.

Quando questionado sobre o consumidor que ficar inadimplente com a fatura do cartão, Lenza disse que, com o atraso da segunda prestação, a Caixa comunica de novo e suspende o pagamento da imobiliária, mas garante, ao final do contrato, repor a imobiliária.

Fonte: Infomoney