Área restrita

Notícias

Conhecer regras do condomínio é essencial

Conhecer regras do condomínio é essencial

G1

Regras antigas nem sempre agradam a moradores novos; antes de assinar o contrato é importante verificar a convenção do condomínio

O espaço é amplo, a vista é boa e fica bem perto de tudo. Mas e as normas do condomínio, você conhece? Antes de fechar negócio, é bom se informar. Regras antigas nem sempre agradam a moradores novos.

O sonho do imóvel ideal enche de planos a cabeça de muita gente. “A gente está atrás de segurança”, diz a microempresária Jéssica Campos. “Piscina, uma churrasqueira, um playground… ai que delícia! Tudo de bom!”, sonha a garçonete Helenita Moreira.

O sonho da casa própria ou de alugar aquele apartamento pode se transformar em um pesadelo se depois da mudança você descobrir que as regras de convivência não são bem do jeito que você imaginava. Além do preço, da localização e do tamanho, antes de assinar o contrato é importante verificar a convenção do condomínio.

Reunir os moradores não é fácil. No prédio da síndica Ieda Maria Iage Resende, foram mais de 20 anos de brigas até adequar a convenção. Hoje, as regras são rígidas. Por isso, a síndica faz questão de entregar o regulamento aos novos moradores.

“Na piscina, o condômino tem direito a trazer um convidado e acabou. Na quadra, o horário é até 22h. Até seis pessoas não pode acender os holofotes”, conta a Dona Ieda.

A enfermeira Thaisa Brandão Mendes estudou a convenção antes de se mudar. Bichos de estimação só dentro do apartamento. Nas áreas comuns, nem pensar. “Para você ter até uma boa convivência com todo mundo no prédio”, resume.

“Quando você adquire um apartamento, você está comprando a convenção, e ela que vai decidir sua vida no condomínio. As regras já estão estipuladas lá. Já estão registradas e, para fazer uma mudança, precisa de dois terços dos moradores presentes em assembleia”, explica Marcelo Duarte, especialista em condomínio e diretor do Sindicato da Habitação (Secovi) de São Paulo.